CNV no Ambiente de Trabalho

A comunicação não-violenta surgiu com o psicólogo norte-americano Marshall Rosenberg (1934 – 2015), inspirado em ações de líderes como Martin Luther King Jr e Gandhi.  A CNV significa habilidade de comunicação verbal (oral ou escrita) e não verbal (imagens ou códigos, gestos, expressões corporais e faciais), para criar compaixão e empatia para fortalecer as relações interpessoais. Ajuda a identificar sentimentos e necessidades não atendidos em uma situação específica em nosso comportamento diário.

Quando usamos essa habilidade, nós a reformulamos quando falamos e ouvimos os outros. Não reagimos imediatamente inconscientemente, mas ouvimos com atenção e pensamos sobre o significado e o desejo por trás do comportamento humano. Desta forma, podemos nos expressar com clareza, empatia, honestidade e respeito. A prática da comunicação não violenta permite ao interlocutor ver o mundo pela perspectiva do outro e compreender os possíveis motivos de sua atitude a partir de quatro processos:

  1. Observação — Esse é o momento onde se é ouvido o outro, buscando entender todo o contexto da situação;

        2. Sentimentos — É preciso estabelecer os sentimentos sentidos após escutar o que a outra pessoa disse. Troque o “acho” por como você realmente se sente;

       3. Necessidade — Com todo sentimento também existe uma necessidade ligada com ela, identificar as suas necessidades também aumentam as hipóteses de tê-las atendidas.

       4. Pedido — Por último, você precisa realizar um pedido. Devemos expressar nossas necessidades de um modo mais claro, positiva e consciente para garantir que as informações enviadas sejam iguais às informações recebidas. Portanto, se você não tiver certeza se sua solicitação foi aprovada, reformule a solicitação para ver se ela foi compreendida. Se você ainda tiver dúvidas, peça ao destinatário da mensagem para repetir o que ele entendeu. Quando outra pessoa não responde, essa pessoa pode ver as informações como uma necessidade. Portanto, a solicitação deve ser objetiva e claramente definida com base na empatia.

Esse método de comunicação além de aplicado na vida pessoal, na vida profissional nas empresas também pode ser aplicado. Conforme a pesquisa “Harvard Business Review” publicada no HR Technologist em 2020, 69% dos gerentes não gostavam de se comunicar com suas equipes. Além disso, em estudo publicado em “Everyone Social” em 2020, um terço dos funcionários americanos acredita que a falta de uma comunicação mais aberta e honesta na empresa afeta seu entusiasmo e consequentemente sua produtividade. Ao mesmo tempo, a pesquisa mostra que simplesmente melhorar as conexões entre os funcionários pode aumentar a produtividade em até 25%.

A troca de palavras na hora de se comunicar pode efetuar uma grande melhoria de empatia, entusiasmo e produtividade no ambiente de trabalho, como, por exemplo, em uma entrega de um documento que já está atrasado e isso pode trazer um problema de confiança por parte dos colegas. Ao invés de ser dito “Você só atrasa com os documentos, eles ainda precisam ser assinados e você não entrega nada no prazo. As pessoas vão perdendo a confiança cada dia mais. ” Troque por: 

“Observei que você não conseguirá entregar o documento solicitado no prazo combinado [observação] e isso me faz sentir preocupado [sentimento] por que é importante para mim que cumpramos os prazos para que nossos colegas confiem em nós [necessidade]. O que podemos fazer para você entregar esses relatórios até sexta? [Pedido]”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima

Download

Preencha os campos abaixo para baixar, não vamos encher sua caixa de spam!