O que esperar da Industria em 2021

O ano de 2020 foi atípico em razão da grande recessão mundial que afetou o setor industrial com bastante força. Para 2021, a expectativa é de uma forte recuperação econômica.De acordo com a edição especial do Informe Conjuntural, Economia Brasileira, um boletim trimestral elaborado pela CNI, a expectativa de crescimento é de 4,0% do PIB e 4,4% do PIB Industrial.

A recuperação dos setores tem sido heterogênea. O Comércio e a Indústria retomaram ao nível pré-pandemia em junho e em setembro, respectivamente. Alguns setores, como Alimentos, apresentaram desempenho positivo. Outros, como Veículos automotores e Vestuário não conseguiram recuperar o patamar do início do ano de 2020.

O setor de Serviços deve continuar ao longo de todo o ano de 2021 em recuperação gradual, de acordo com o avanço da pandemia e das vacinas, que vão permitindo progressiva normalização tanto da oferta de serviços como de sua demanda.

industria

A dificuldade de obter insumos e/ou matérias primas continua afetando a Indústria, resultando em uma produção industrial em crescimento, porém menos do que o suficiente para atender a demanda.Estima-se que a dificuldade de se obter insumos deverá terminar no segundo trimestre de 2021, assim como a pressão sobre os preços, como resultado tanto da valorização do real, como da reorganização das cadeias produtivas.A Indústria precisará aumentar a sua produtividade, conforme citado no boletim da CNI. Além das medidas que melhoram o ambiente que as empresas operam, a importância de estimular o investimento em inovação é reforçada, em especial em tecnologias digitais, também conhecidas como Indústria 4.0.A intenção de investimento (Sondagem Industrial/CNI) caiu significativamente durante o período mais crítico da pandemia, mas recuperou-se fortemente ao longo do segundo semestre. Diversos projetos que foram interrompidos durante a pandemia deverão ser retomados.A indústria poderá ganhar participação no PIB, passando de 21,4% em 2019 para 21,6% em 2020 e 21,7% em 2021.A CNI também menciona que, para o novo ano que se inicia, ainda iremos contar com incertezas elevadas, que diminuirão com a imunização da maior parcela da população. Desse modo, não se pode descuidar nem com os cuidados com a saúde pública nem com a economia. A aceleração do contágio do vírus Covid-19 aumenta o risco de uma nova freada na economia.Referência: https://static.poder360.com.br/2020/12/CNI-estima-crescimento-de-4-em-2021-16dez2020.pdf

Veja mais